sexta-feira, 28 de agosto de 2009

Hoje, um ano sem ele...

"A morte não é nada. É somente uma passagem
de uma dimensão para outra.
Eu somente passei para o outro lado do Caminho.
Eu estou, agora em uma outra vida, não podem atormentar
essa minha passagem com tristeza e lágrimas.
Eu tenho que ter muita paz para
purificar minha alma e andar tranqüilo pelos jardins da dimensão que me encontro.
Vocês são vocês.
Estão vivos, a vida não pode
parar porque um membro da familia partiu.
O que eu era para vocês, eu continuarei sendo.
Se dei bons exemplos, siga-os,
se fui bom imitem-me,
se deixei vocês com saudade, quando se lembrarem de mim façam uma oração,
peçam meu descanso, meu repouso e que meu encontro com Deus, seja minha glória.
Me dêem o nome que vocês sempre me deram, falem comigo como vocês sempre fizeram.
As lágrimas de vocês, me fazem um enorme mal,
cada um de nós tem seu dia marcado, o meu veio agora, pensem simplesmente que nos encontraremos mais cedo ou mais tarde.
Vocês continuam vivendo no mundo das criaturas, eu estou vivendo no mundo do Criador.
Não utilizem um tom solene ou triste, continuem a rir daquilo que nos fazia rir juntos.
Rezem, sorriam, pensem em mim.
Rezem por mim.
Que meu nome seja pronunciado
como sempre foi, sem diferença por eu não estar presente, não saí da vida de vocês porque quis, mas sim porque Deus determinou, aceitem, para que eu não lamente estar sendo motivo de sofrimento, pois jamais os magoaria por minha vontade.
Não tenham revolta, não lamentem, apenas tentem compreender, se não lembrarem de mim com alegria, vou ficar no meio do caminho, sem poder ir para onde tenho que ir, sabendo que nada posso fazer para voltar para vocês.
Não quero tristeza, não quero lágrimas, quero orações.
A vida significa tudo o que ela sempre significou, o fio não foi cortado.
Porque eu estaria fora de seus pensamentos,
agora que estou apenas fora de suas vistas?
Eu não estou longe, apenas estou do outro lado do Caminho...
Vocês que aí ficaram, sigam em frente,
a vida continua, linda e bela como sempre foi.
Santo Agostinho
-----------------------------------------------
QUANDO EU ME FOR... Lêda Mello
Quando eu me for,

não importa quanta fortuna amealhei,
quantas honrarias recebi,
quanto poder detive em minhas mãos,
quanta fama haja coberto o meu nome.
Fortuna, honrarias, poder, fama...
são acessórios transitórios,não partirão comigo.
Ficarão e logo serão esquecidos.
Quando eu me for, importará, sim,

o amor que ofereci, incondicionalmente,
o abraço que dei,
o ombro que ofereci,
a mão que estendi,
a palavra que não neguei,
a presença sem cobranças,
a lealdade, o respeito e a consideração
que dediquei a mim mesma
e aos meus irmãos de caminhada,
a aceitação de mim mesma
e dos que vieram a mim.
A aceitação da vida, com simplicidade.
Quando eu me for,

não haverá choros, nem lamentos.
Simplesmente, irei. Serenamente.
É a lei da vida.
Chegada a hora, tarefas cumpridas,
é o momento do retorno à verdadeira vida.
Não precisarei de malas e nem de sacolas.
O que eu levar comigo
será tesouro que não poderá ser roubado
e nem roído pelas traças.
Levarei apenas os atos de amor
que semeei e os afetos que mereci.
Quando eu me for,

partirá comigo, mas deixará seu perfume,
o sumo da vida que escolhi viver.
------------------------------------------
Se eu soubesse ...
Se algum dia eu soubesse que nunca mais veria você apenas dormindo,

eu lhe daria um abraço mais forte e pediria a Deus para acolher a sua alma.
Se eu soubesse que seria a última vez a ver você saindo para a rua, eu lhe daria um beijo e o chamaria para dar mais um.
Se eu soubesse que seria a última vez a ouvir sua voz elevando uma prece, eu gravaria cada movimento e cada palavra, para reve-los depois todos os dias.
Se eu soubesse que seria a última vez que eu poderia parar mais um ou dois minutos para dizer-lhe "gosto de você" eu diria, ao invés de deixar que você presumisse.
Se eu soubesse que hoje seria o último dia a compartilhar com você, tenho certeza de que o sentiria muito mais intensamente em vez de deixá-lo simplesmente passar.
Sempre acreditamos que haverá o amanhã para corrigir um descuido e para ter uma segunda chance de acertar.
Será que haverá sempre um outro dia para expormos nossos sentimentos?

Haverá sempre uma chance para dizer "posso fazer alguma coisa por você"?
O amanhã não é garantido para ninguém, seja para jovens ou mais velhos,

e hoje pode ser a última chance de abraçarmos aqueles que amamos.
Então, se estamos esperando pelo amanhã, por que não agirmos hoje?
Assim, se o amanhã nunca chegar, não teremos arrependimento de não termos aproveitado um momento para um sorriso, para um abraço, para um beijo, uma gentileza, porque estávamos muito 'ocupados' para dar a alguém o que poderia ser seu último desejo.
Abracemos hoje aqueles que amamos, sussurremos em seus ouvidos, dizendo-lhes o quanto nos são caros e que sempre os amaremos.
Encontremos tempo para dizer:"Desculpe-me" "Perdoe-me" "Obrigado" "Eu perdôo você" .
Sempre há tempo para amarmos e se não houver amanhã, também não haverá remorsos de hoje para carregarmos.
Silvia Schmidt

Um comentário:

Joana D'Arc disse...

Me sensibilisou muito a sua postagem.Se lembrassemos sempre do que está escrito,seria tão diferente...